O relatório Global reaction to energy crisis risks zero carbon transitions faz uma análise das respostas dos governos frente ao choque energético global ocasionado pela guerra Rússia – Ucrânia. O relatório destaca que estamos testemunhando uma “corrida do ouro” global para construção de novas instalações de produção de gás fóssil e expansão da infraestrutura de gasodutos e gás natural liquefeito (GNL). Com isso, alertam os autores, corre-se o risco de termos outra década de alto carbono e destruir as chances de limitar o aquecimento global em 1,5°C. O relatório ainda destaca que o investimento na expansão das renováveis e hidrogênio verde está longe de ser suficiente; que os governos estão subsidiando os combustíveis fósseis; que eles ainda não apoiam a mudança comportamental para reduzir a demanda de energia; e que pouca ênfase tem sido colocada ênfase na eficiência energética e na eletrificação. Em outras palavras, as respostas dos governos, de modo geral, têm mirado prioritariamente às necessidades de fornecimento de energia de curto prazo, deixando de lado as estratégias de mitigação climática de longo prazo. O estudo aponta ainda algumas medidas que deveriam ser tomadas para garantir um fornecimento contínuo de energia sustentável e reduzir a demanda de energia, mostrando também quais países estão tomando essas medidas e quais não estão.

Vale frisar ainda sobre esse tema, que já divulgamos no Panorama dois outros excelentes estudos que questionam a tese de que a produção de gás teria um papel relevante na transição para um futuro de energia limpa. Os estudos são: Por que o gás é o novo carvão e Índice de Preço do Carbono de Carvão para Eletricidade Limpa.

Climate Action Tracker

Link de acesso :

https://climateactiontracker.org/publications/global-reaction-to-energy-crisis-risks-zero-carbon-transition/