O artigo discute a diminuição da pegada climática dos mineradores de Ethereum. O Ethereum é uma plataforma descentralizada capaz de executar contratos inteligentes e aplicações descentralizadas usando a tecnologia blockchain. Em 15 de setembro de 2022, o segundo maior protocolo de criptomoeda do mundo por capitalização de mercado eliminou mais de 99% seu consumo de energia ao fazer a transição para um novo mecanismo de consenso conhecido como “prova de participação” (proof of stake). Mesmo não impactando no preço do ether, especialistas do setor esperam que a mudança alivie gradualmente as preocupações sobre como o uso da tecnologia blockchain está impactando o meio ambiente e a demanda por energia. Os mineradores de Bitcoin que usam um mecanismo de consenso mais intensivo em energia chamado prova de trabalho (proof of work), foram responsáveis por cerca de 1,4% de todo o uso de eletricidade dos EUA em 2021, e a estimativa passa para 1,7% quando a mineração de prova de trabalho Ethereum é incluída. Com a transição para a prova de participação, a segurança da rede passa a depender de validadores que depositam ether como garantia em contratos inteligentes. Em troca, os validadores que depositaram garantias ganham recompensas em bloco ao confirmar e ordenar transações. Assim, em vez de usar unidades de processamento gráfico de alta potência na execução, os validadores simplesmente precisam de um laptop básico e uma conexão estável à Internet. A rede fica sujeita à governança dos participantes.

S&P Global

Link de acesso:

https://www.spglobal.com/marketintelligence/en/news-insights/latest-news-headlines/ethereum-s-99-cut-in-energy-use-will-curb-crypto-s-climate-footprint-72145342

 

Artigos relacionados:

https://panorama.memoriadaeletricidade.com.br/o-uso-de-energia-pelas-empresas-de-criptomineracao-nos-eua-esta-contribuindo-para-o-aumento-das-contas-de-energia/

https://panorama.memoriadaeletricidade.com.br/como-a-mineracao-de-criptomoedas-transformara-o-setor-de-energia/