Este artigo destaca os principais impactos das mudanças climáticas esperados para o Brasil, com base na publicação da segunda parte do 6° relatório do IPCC , repercutido pelo Panorama no segundo período de fevereiro. São evidenciadas projeções para um aumento das mortes por calor e uma redução de chuvas no nordeste do país e no sul da Amazônia, o que poderá transformar essas regiões, respectivamente, em uma região semidesértica e em uma savana. Além disso, destaca-se a previsão de um aumento no número de eventos de chuvas extremas e uma redução da produção agropecuária, com grandes efeitos produtivos e econômicos. A autora também explicita um novo conceito trazido pelo relatório, ou seja, o conceito de “Maladaptação” – que consiste em medidas adotadas pelos países, que, ao invés de ajudarem no enfrentamento das mudanças climáticas, aumentam os riscos e as vulnerabilidades. Por fim, são apresentadas duas grandes mensagens trazidas pelo relatório: (i) que a mitigação e enfrentamento dos problemas deve estar em consonância com a preservação da biodiversidade e com a redução das desigualdades socioeconômicas; e, (ii) que é necessário repensar o tipo de desenvolvimento econômico que queremos para o Brasil, com uma redução da sua dependência ao agronegócio.

Link de acesso:

https://oeco.org.br/reportagens/o-brasil-no-relatorio-do-ipcc-o-que-podemos-esperar-do-futuro-no-cenario-de-mudancas-climaticas/