É relativamente bem aceito que as mudanças climáticas podem afetar doenças patogênicas ao homem; no entanto, a extensão total desse risco permanece pouco quantificada. Nesse artigo, é realizada uma pesquisa sistemática de exemplos empíricos sobre os impactos de dez riscos climáticos sensíveis às emissões de gases de efeito estufa (GEE) em cada doença patogênica humana conhecida. Descobriu-se que 58% (ou seja, 218 de 375) das doenças infecciosas enfrentadas pela humanidade em todo o mundo foram em algum momento agravadas por riscos climáticos; 16% foram às vezes diminuídos. Casos empíricos revelaram 1.006 vias únicas nas quais os riscos climáticos, por meio de diferentes tipos de transmissão, levaram a doenças patogênicas. As doenças patogênicas humanas e as vias de transmissão agravadas por riscos climáticos são muito numerosas para adaptações sociais abrangentes, destacando a necessidade urgente de trabalhar na fonte do problema: reduzir as emissões de GEE.

Nature Climate Change

Camilo Mora, Tristan McKenzie, Isabella M. Gaw, Jacqueline M. Dean, Hannah von Hammerstein, Tabatha A. Knudson, Renee O. Setter, Charlotte Z. Smith, Kira M. Webster, Jonathan A. Patz & Erik C. Franklin

Link de acesso:

https://www.nature.com/articles/s41558-022-01426-1

 

Artigos relacionados:

https://panorama.memoriadaeletricidade.com.br/ar6-mudancas-climaticas-2022-impactos-adaptacao-e-vulnerabilidade/