O relatório Nuclear Power and Secure Energy Transitions: From Today’s Challenges to Tomorrow’s Clean Energy Systems analisa como a energia nuclear pode ajudar a enfrentar duas grandes crises que o mundo enfrenta hoje: a energética e a climática. A energia nuclear pode reduzir a dependência de combustíveis fósseis importados, reduzir as emissões de dióxido de carbono e permitir que os sistemas de eletricidade integrem parcelas maiores de energia solar e eólica. De acordo com o relatório, construir sistemas de energia sustentáveis e limpos será mais difícil, mais arriscado e mais caro sem energia nuclear. Isso porque, diante da intermitência das usinas renováveis, a alternativa à energia nuclear seria o uso de mais recursos de armazenamento e usinas de combustível fóssil equipadas com captura, utilização e armazenamento de carbono (CCUS). Isso exigiria mais de US$ 500 bilhões em investimentos e aumentaria as contas de eletricidade do consumidor por conta de uma alta de custos que totaliza cerca de US$ 20 bilhões por ano até 2050. O documento também examina as dificuldades em torno dos investimentos, particularmente nas economias avançadas, nas áreas de custos, desempenho, segurança e gestão de resíduos. Para os países onde a energia nuclear é considerada promissora, o relatório identifica as mudanças políticas, regulatórias e de mercado que podem ser implementadas para criar novas oportunidades de investimento. Também analisa o papel dos pequenos reatores modulares (SMR), seu potencial de desenvolvimento e de implantação.

Para entender porque os governos trataram (e muitos ainda tratam) com cautela a inserção da usina nuclear em suas matrizes de energia, veja também o artigo Legado envenenado: porque o futuro da eletricidade não pode ser nuclear, divulgado pelo Panorama em maio de 2022.  

IEA

Link de acesso:

https://iea.blob.core.windows.net/assets/0498c8b8-e17f-4346-9bde-dad2ad4458c4/NuclearPowerandSecureEnergyTransitions.pdf