O InfluenceMap é um think tank independente que fornece dados e análises sobre como os negócios e as finanças estão afetando a crise climática. Nesse relatório foram avaliados 723 fundos de ações comercializados usando palavras-chave relacionadas a ESG e clima. Esses fundos, que contam com mais de US$ 330 bilhões em ativos líquidos totais, foram analisados sob dois critérios climáticos: alinhamento da carteira de ativos com o Acordo de Paris e intensidade de combustível fóssil. Os resultados surpreendem e foram repercutidos por Luis Nassif em seu artigo A financeirização espúria da economia verde. Na categoria ESG, identificou-se 593 fundos de ações com mais de US$ 265 bilhões em ativos líquidos e revelou-se que 71% deles têm uma pontuação negativa em relação ao Acordo de Paris. Na categoria de fundos com tema climático, a pesquisa identificou 130 fundos com mais de US$ 67 bilhões em ativos totais. Os resultados da pesquisa indicam que 55% desses fundos estavam desalinhados com o Acordo de Paris. Frise-se ainda que tais fundos continuam a manter em carteira US$ 153 milhões em ações de empresas da cadeia de valor da produção de combustíveis fósseis, como a TotalEnergies, Kinder Morgan, Enbridge, Neste, Halliburton, Chevron e ExxonMobil.

Influence Map

Link de acesso:

https://influencemap.org/report/Climate-Funds-Are-They-Paris-Aligned-3eb83347267949847084306dae01c7b0