Em um contexto de transição energética, o artigo aborda a necessidade de apoio internacional aos países cuja centralidade da economia está na produção petróleo e gás, como os do norte da África e do Oriente Médio, destacando o Iraque. Aponta-se que, se as receitas do petróleo diminuírem antes que os países produtores tenham diversificado com sucesso suas economias, os meios de subsistência serão perdidos e as taxas de pobreza aumentará. Em um efeito cascata, as dificuldades econômicas e o desemprego crescente poderiam gerar inquietação e instabilidade mais amplas. Os autores afirmam que, para corrigir isso, serão necessárias políticas e investimentos que permitam a esses países canalizar capital e mão-de-obra para indústrias produtivas no futuro e estimular o setor privado. Nesse sentido, destacam-se oportunidades de descarbonização e, também, de diversificação da economia. Contudo, reiteram que a transformação dessas economias de maneira equitativa e acessível só será possível com o apoio internacional. Caso contrário, o caminho para o net zero e a segurança dos mercados mundiais de energia estarão em perigo.

The Guardian – Ali Allawi (Vice-Primeiro Ministro e Ministro das Finanças – República do Iraque), Dr. Fatih Birol (Diretor Executivo da IEA)

Link de acesso: 

https://www.theguardian.com/commentisfree/2021/sep/01/oil-producing-countries-net-zero-2050-iraq