O artigo chama atenção para o rápido crescimento dos fundos de gerenciamento passivo (ou index funds), para o papel cada vez mais importante dos três gigantes provedores de índices e para a deficiente regulação dessa nova modalidade de fundo. Lembrando de início que tais fundos “já se tornaram os maiores proprietários da América corporativa”, o artigo conclui que esse grupo restrito de gestores de fundos passivos e fornecedores de índices determinará amplamente o valor de mercado das companhias, inclusive das que investem em projetos que podem acelerar ou minimizar as mudanças climáticas. Segundo os autores, está acontecendo uma mudança de paradigma que terá um impacto profundo nas empresas e estamos prestando pouca atenção às classificações e aos julgamentos “altamente questionáveis” que os provedores de índices e fundos passivos fazem sobre as empresas e ações mais relevantes no cenário da mudança climática. Para que o mundo realmente enfrente a crise climática global, essas questões precisam ser examinadas muito mais de perto por reguladores, pesquisadores e o público em geral.

The Conversation – Jan Fichtner (Pesquisador em Ciência Política, Universidade de Amsterdã); Eelke Heemskerk (Professor de Ciência Política, Universidade de Amsterdã); Johannes Petry (ESRC Doctoral Research Fellow em Economia Política Internacional, Universidade de Warwick)

Link de acesso: https://theconversation.com/three-financial-firms-could-change-the-direction-of-the-climate-crisis-and-few-people-have-any-idea-131869