O artigo discute o potencial de melhoria em eficiência energética nas residências através de políticas públicas e programas destinados a educar os consumidores e incentivá-los a mudar seus hábitos diários – sem recorrer a mudanças estruturais em grande escala. Sabe-se que, em 2018, o consumo de energia do setor residencial representou 20% da demanda total de energia nos países membros da IEA. Nesse sentido, mudanças de hábitos podem ajudar a reduzir as contas de energia, diminuir as emissões de carbono e aliviar a pressão sobre a rede elétrica. O artigo destaca também que mudanças de comportamento em residências norte-americanas podem gerar economias de energia na ordem de 16% e 20% da demanda de energia de uma casa, e que, na Índia, ações desse tipo poderiam trazer uma redução de emissões em torno de 1,8 a 5,3 Mt CO2 por ano.

EIA – Elisabetta Cornago (Analista de Política Energética)

Link de acesso: 

https://www.iea.org/articles/the-potential-of-behavioural-interventions-for-optimising-energy-use-at-home