Essa é uma entrevista com Frederico Rocha de Araújo, presidente da Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia (Abesco). Para ele, a ameaça de racionamento de energia neste ano poderia pelo menos ter sido minimizada caso o país tivesse uma política pública mais consistente para a eficiência energética. Na entrevista, Araújo detalha sua visão sobre a eficiência energética no Brasil e também a proposta de política pública que a A está preparando para o setor e que será encaminhada para o MME. São comentadas três recomendações, em especial: (i) o aperfeiçoamento do programa de resposta da demanda, onde a ideia é fazer com que a redução de consumo no horário de ponta gere um crédito para ser aplicado futuramente em projetos de eficiência energética em unidades fabris, (ii) a realização de leilões de eficiência energética em regiões industrializadas, e, (iii) o estabelecimento de indicadores mínimos anuais de eficiência energética para a indústria brasileira. Frederico ainda analisa os principais programas de eficiência energética já criados no Brasil (o PROCEL e o PEE). Sobre esses programas, o especialista tece algumas críticas à sua condução e sugeri melhorias.

Brasil Energia – Marcelo Furtado (Colunista do Brasil Energia)

Link de acesso:

https://editorabrasilenergia.com.br/por-uma-politica-publica-para-a-eficiencia-energetica/