Desde 2020, houve um aumento significativo dos preços da energia e dos alimentos ao redor do globo, movimento este que foi exacerbado pelos impactos da guerra Rússia – Ucrânia. Dado esse contexto, a nota do FMI, Fiscal Policy for Mitigating the Social Impact of High Energy and Food Prices, traz um levantamento das medidas adotadas por 134 governos para tentar diminuir o impacto doméstico dos aumentos dos preços internacionais. Com base na análise dessas medidas, os economistas do FMI apontam, então, aquelas que consideram mais adequadas e menos adequadas. Em geral, a nota aconselha que os governos não adotem mecanismos de controle de preços e que ajam no sentido de aliviar os impactos dessa alta para as famílias mais vulneráveis através de política fiscal. Afirma-se que transferências temporárias, diretas e focadas, que alcancem os mais vulneráveis, têm um custo menor do que manter os preços artificialmente baixos para todos. Enfatiza-se ainda que nem todos os países podem seguir o mesmo caminho. Por isso, a nota oferece conselhos políticos diferenciados para os países, dependendo da situação fiscal, da capilaridade e extensão do sistema de atendimento social.

FMI – David Amaglobeli, Emine Hanedar, Gee Hee Hong, Céline Thévenot

Link de acesso:

https://www.imf.org/-/media/Files/Publications/IMF-Notes/2022/English/INSEA2022001.ashx