O artigo tem por objetivo discutir as vantagens do uso do modelo Dessem e do cálculo do PLD em base horária. Segundo o autor, essa mudança passou a permitir melhor percepção da real escassez do sistema e trouxe um avanço na valoração dos critérios de flexibilidade e potência. Esses novos sinais auxiliam no amadurecimento do mercado de energia elétrica e contribuem para o aprimoramento do planejamento da expansão.

Canal Energia – Paulo Sehn (Diretor de energia na Associação Brasileira dos Investidores em Autoprodução de Energia)

Link de acesso: