Neste artigo, o escritor Frei Betto discute a grande contradição que cerca os enormes valores investidos por diversos países na indústria de armas simultaneamente ao grande descaso destes com a preservação ambiental. O autor destaca que os gastos militares mundiais ultrapassaram 2 trilhões de dólares em 2021, sendo os EUA, China, Índia, Reino Unido e Rússia, os que mais investem em armamentos e os responsáveis pelo maior uso de combustíveis fósseis, metais e minerais não metálicos. As forças armadas dos EUA continuam sendo os maiores consumidores individuais de petróleo e, como resultado, um dos maiores emissores de gases de efeito estufa do mundo. Simultaneamente a esse excesso de gastos no setor de armas, em 2019, comprovou-se que a lacuna anual de financiamento para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) era de 2,5 trilhões de dólares. Se o valor aplicado em gastos militares fosse direcionado aos ODS seria possível amenizar os principais fatores contrários à dignidade humana. O artigo destaca ainda que, em 2021, o mundo investiu apenas 750 bilhões de dólares em energia limpa e eficiência energética e o investimento total em infraestrutura energética foi de US$ 1,9 trilhão, mas a maior parte foi para combustíveis fósseis.

Dom Total –  Frei Betto (escritor)

Link de acesso:

https://domtotal.com/artigo/9971/2022/05/o-preco-da-morte/