O texto discute as oportunidades de desenvolvimento de novos modelos de negócio para o biometano no Brasil. O autor afirma que a introdução da concorrência e a liberalização do mercado final de gás no país cria essas novas oportunidades para o energético, além do já tradicional modelo de autoprodução ou da venda do biometano para as distribuidoras de gás. Entre as opções, menciona-se: i) venda direta para postos GNV ou consumidores finais através do transporte a granel (GNL ou GNC); ii) venda a consumidores finais através de ramais dedicados com o pagamento de tarifa específica de distribuição (TUSD-e); e, iii) venda de biometano diretamente para frotistas, que converteriam seus veículos para biometano. A localização da oferta do biometano, se adequadamente valorizada, pode ser uma vantagem suficiente para concorrer com alternativas de suprimento de gás ou outros combustíveis concorrentes. Além disso, as plantas de biometano podem gerar créditos de carbono importantes, que podem ser monetizados por meio da venda dos Cbios. Destaca-se o grande potencial do Brasil para o desenvolvimento do biogás e do biometano e que uma futura descarbonização do setor de gás no país passará pela oferta de biometano.

Brasil Energia – Edmar de Almeida (professor do Instituto de Economia da UFRJ e pesquisador do IE/PUC).

Link de acesso: 

https://editorabrasilenergia.com.br/o-potencial-do-biometano-no-contexto-de-abertura-do-mercado-brasileiro-de-gas/