Utilizando como exemplo o caso do vilarejo de Feldhein, na Alemanha, o artigo discute o potencial da Geração Compartilhada (GC) para o caso brasileiro. A esse respeito, as autoras apresentam inicialmente expectativas de investimento, de geração de empregos e o crescimento da Geração Distribuída (GD) nos últimos anos, destacando os impactos sociais relativos à descentralização da geração. Segundo o artigo, a alternativa da GC ocupa um lugar essencial para quem não tem condições de investimento, financiamento ou espaço disponível para optar pela GD individual. Ademais, a GC dá poder para os consumidores terem mais previsibilidade com gastos e aumenta as chances de sobrevivência dos maiores empregadores do País. Mesmo representando menos do que 1% da GD no Brasil e menos de 0,003% da matriz elétrica nacional, levando em consideração o potencial solar, eólico, do biogás e de outras fontes sustentáveis e renováveis, afirma-se que o país tem um caminho aberto e cada vez mais poderoso para descentralizar e democratizar a geração de energia por meio da GC. Entretanto, ainda há desafios para esse avanço.

Canal Energia – Nayanne Brito (engenheira), Camila Belluco (advogada)

Link de acesso:

https://www.canalenergia.com.br/artigos/53179036/o-poder-da-geracao-compartilhada-para-consolidacao-do-brasil-como-potencia-energetica