Em seu artigo The west caused the climate crisis – it should now pay to clean up the mess, Lazarus Chakwera, Presidente da República do Malawi, apresenta uma crítica aos países ricos sobre suas responsabilidades frente às mudanças climáticas e faz um apelo à aplicação da justiça climática par os países pobres. O autor argumenta que a África fez pouco para criar a crise climática. Contudo, as pragas de gafanhotos no Chifre da África, a primeira crise climática em Madagascar e as crises de água no sul da África são evidências de que o continente já está pagando o preço das emissões de outros. Chakwera aponta que a maior responsabilização dos países ricos não representa uma caridade, mas uma taxa de limpeza que deve ser paga. Destaca, ademais, que os países ricos estão impondo uma transição energética à África que corre o risco de causar grandes danos. Com efeito, vários governos e instituições multilaterais de crédito estão proibindo o financiamento de infraestrutura para combustíveis fósseis, e isso exclui a transição por meio do gás natural. Na prática, isso só se aplicaria aos países pobres, enquanto os países mais ricos enfrentam poucas proibições de desenvolver ou importar gás. Nesse cenário, o autor alerta, por fim, que as energias renováveis ainda não podem garantir pleno acesso à eletricidade, já que as tecnologias de armazenamento não são avançadas o suficiente para tornar confiáveis as fontes de energia solar, eólica e outras fontes intermitentes de energia. Nesse contexto, é necessária uma abordagem mais matizada para que a equidade e a justiça climática sejam respeitadas. 

The Guardian – Lazarus Chakwera (presidente do Malawi)
Link de acesso:

https://www.theguardian.com/commentisfree/2021/oct/31/west-climate-crisis-cop26-africa-develop-global-heating