Escrito por renomados estudiosos do setor energético e muito rico em dados, este artigo é uma referência fundamental no debate sobre a reconfiguração da matriz elétrica brasileira com objetivo de torná-la mais preparada para enfrentar futuras crises e apoiar o desenvolvimento do país. A ampliação na participação de fontes renováveis variáveis, a alteração no modo de operação do parque hidrelétrico, a expansão da capacidade de armazenamento e o reforço na capacidade de transmissão do sistema são algumas das principais alternativas recomendadas. Os autores tratam também das dificuldades para o avanço dessas opções, discutem as vantagens e desvantagens de todas as principais alternativas energéticas e apontam recomendações para reduzir as barreiras identificadas naquelas que seriam as melhores alternativas. Por fim, o documento avalia a inclusão forçada de termelétricas a combustíveis fósseis no sistema, defendendo que essa não seria a melhor opção para a segurança de suprimento e para a resiliência do sistema no enfrentamento de crises futuras. 

Amanda Ohara (Consultora do iCS), José Goldemberg (ex-secretário de Ciência e Tecnologia e de Meio Ambiente) e Luiz Barata (ex-diretor do ONS)

Link de acesso: https://59de6b5d-88bf-463a-bc1c-d07bfd5afa7e.filesusr.com/ugd/d19c5c_6e6380eb61e24746b5d26bc2d7d752c6.pdf