Neste artigo, Alexandre Spatuzza traz Erik Rego (EPE), Martha Carvalho (PSR), Paulo Cesar Domingues (MME) e Mário Miranda (Abrate) para discutir a profunda mudança no planejamento da transmissão que deve ser consolidada ainda esse ano pelo governo brasileiro. A EPE propõe um investimento recorde de R$ 50 bilhões em 10.000 km de novas linhas, só no Nordeste, para acomodar o grande portfólio de projetos solares e eólicos que chega a 200 GW em capacidade nominal. Segundo as projeções usadas pela EPE, além de 25 GW em operação e 15 GW já contratados de renováveis para entrar em operação até 2025, mais 14 GW serão instalados no submercado Norte/Nordeste até 2030. Apesar da certeza de que o Nordeste precisa de mais robustez no escoamento regional, as incertezas de uma expansão, calcada pesadamente no mercado livre, levaram a uma busca de novas metodologias para auxiliar na decisão sobre o melhor traçado da rede de transmissão para escoar a nova capacidade. Alguns dos agentes enfatizam que estamos promovendo a plena integração elétrica nacional, aumentando a segurança no suprimento, outros ressaltam também que existe uma preocupação com a conjuntura atual de baixíssimo consumo e atividade econômica.

Link de acesso:

https://editorabrasilenergia.com.br/novo-planejamento-para-a-transmissao/