A energia renovável é crucial para se alcançar a neutralidade de carbono e apoiar o desenvolvimento sustentável, mas seu sucesso depende de políticas eficazes. Este estudo tem como objetivo avaliar as políticas públicas e suas influências no uso e difusão de energia eólica e solar fotovoltaica na rede elétrica brasileira e entender se, e como, as duas fontes renováveis podem ser afetadas pelo cenário pós-pandemia da COVID-19. Este trabalho desempenha um papel importante na descarbonização do setor elétrico, destaca a necessidade de modernização do parque industrial brasileiro e aborda novas barreiras ao desenvolvimento de fontes renováveis no país. Para realizar a análise e responder às questões de pesquisa, foi adotada uma abordagem metodológica mista abrangendo aspectos quantitativos e qualitativos, conduzida por uma rigorosa revisão sistemática da literatura e entrevistas semiestruturadas com atores brasileiros. Os resultados revelaram que 1/4 das políticas, caracterizadas por motivações socioeconômicas, foram responsáveis pelo crescimento da participação da oferta eólica e solar fotovoltaica na matriz elétrica, contribuindo para a descarbonização da matriz energética brasileira. Os resultados também sugerem que novas políticas serão necessárias para garantir uma maior presença de ambas as fontes na matriz elétrica. As conclusões do estudo revelam informações inéditas e valiosas capazes de apoiar formuladores de políticas e interessados na difusão de fontes renováveis. Mais estudos são necessários para destacar outros aspectos, como a necessidade de modernizar a rede de “distribuição” e o sistema de armazenamento de tecnologias renováveis.

Renewable and Sustainable Energy Reviews, Vol. 162

Evaldo Costa, Ana Carolina Rodrigues Teixeira, Suellen Caroline Silva Costa, Flavia L. Consoni

Link de acesso:

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1364032122003550