O artigo discute mecanismos que possibilitam a inserção da resposta da demanda elétrica no Brasil. Em primeiro lugar, o autor destaca a abertura da Tomada de Subsídios n° 11 (TS 011/2021) pela Aneel, que prevê, entre outras coisas, a obtenção de contribuições de propostas de modelos regulatórios para a inserção de recursos energéticos distribuídos, incluindo resposta da demanda. Outra iniciativa comentada é o programa de redução voluntária de demanda de energia elétrica (RVD), criado como forma de mitigação da atual crise hídrica. Claudio Sales diferencia as duas iniciativas afirmando que a RDV é uma ação conjuntural de curto prazo e a TS 011/2021 tem uma lente de longo prazo com possibilidade de se tornar um mecanismo estrutural importante. Por fim, o autor destaca três temas que merecem prioridade para o aumento da probabilidade de êxito de programas de resposta da demanda: i) clareza de critério e previsibilidade das condições de despacho para que os consumidores façam os investimentos necessários que viabilizarão suas ofertas de redução de consumo, ii) flexibilidade de produtos para aumentar a oferta de reduções voluntárias e a adequação às necessidade do ONS, e iii) definição de linhas base que premiam as reduções de consumo que mais contribuem para o sistema.

Brasil Energia – Claudio Sales (presidente do Instituto Acende Brasil)

Link de acesso: 

https://editorabrasilenergia.com.br/incentivos-para-a-resposta-da-demanda-eletrica/