Décadas de políticas públicas de apoio e investimentos colocaram o Brasil no topo dos mercados globais de geração de energia, sendo considerado a maior indústria de biomassa do mundo e ocupando o segundo lugar em capacidade hidrelétrica. Contudo, apesar da abundância de ativos de energia, os brasileiros ainda pagam preços altos pela sua utilização. Destacando o grande potencial de expansão de energia solar, eólica e produção de gás natural, o artigo publicado pela McKinsey explicita três linhas de ação – diversificar e otimizar os sistemas de energia, reduzir as perdas da rede e investir em eficiência energética – que podem ajudar na evolução da matriz energética brasileira e, potencialmente, reduzir os preços de energia. Em sua conclusão ressalta que a redução dos preços pode gerar mais competitividade de indústrias intensivas em energia, acelerar a eletrificação de processos industriais e a adoção de carros elétricos, e aumentar o consumo de eletrodomésticos pela população.

McKinsey & Company – Marcelo Aude, Guillaume Decaix, Kevin Nobels, e Juliana Pinto

Link de acesso:  

https://www.mckinsey.com/industries/electric-power-and-natural-gas/our-insights/how-brazil-can-optimize-its-cost-of-energy