Em função da agenda de mudanças climáticas, da descarbonização da economia, da crescente eletrificação das atividades produtivas, da mobilidade e do padrão de consumo, o artigo discute novas oportunidades para o Setor Elétrico Brasileiro associadas ao desenvolvimento do hidrogênio verde. Entre outros apontamentos, os autores defendem que o hidrogênio verde tem o potencial de oferecer descarbonização de setores de difícil eletrificação. O texto ainda destaca a vantagem comparativa brasileira para a produção de hidrogênio através das fontes solar e eólica, fatores essenciais para a produção de hidrogênio verde em larga escala. Ao final, os autores enfatizam que a difusão do hidrogênio como fonte de energia renovável abre a perspectiva de que este, em sua forma líquida, se torne uma commodity passível de ser transacionada no mercado internacional, o que traz oportunidades significativas para o Brasil no mercado internacional.

 

Gesel/UFRJ – Nivalde de Castro (coordenador geral do GESEL) e Nelson Siffert (pesquisador associado do GESEL).

 

Link de acesso:

http://www.gesel.ie.ufrj.br/app/webroot/files/publications/35_castro_2021_04_16.pdf