Os ativos físicos pertencentes a empresas dos setores de energia, serviços públicos, materiais, bens de consumo básicos e saúde enfrentarão um grande risco daqui a aproximadamente 30 anos devido à intensificação do aquecimento global. Destaca-se que a maior ameaça, se não mitigada, será a escassez de água, agravada pela mudança nos padrões de chuva e pela seca. Ao longo do artigo são evidenciados dados que refletem o grau em que cada setor ou região está exposta aos diferentes riscos físicos da mudança climática nas próximas três décadas. As regiões mais expostas serão Ásia, Oceania, América Latina e Caribe. Na América Latina, os riscos mais intensos são de estresse hídrico e queimadas. Os dados ainda revelam que os ativos pertencentes a concessionárias de serviços públicos enfrentam o maior risco físico dentre as indústrias, principalmente devido à escassez de água. E isso tem uma escala ainda maior em ativos intensivos em água, como as usinas hidroelétricas. O senso de urgência para mitigação e adaptação se torna cada vez mais claro, uma vez que já estamos vendo boa parte desses riscos aumentarem como jamais visto.

S&P Global – Gautam Naik & Rick Lord

Link de acesso:

https://www.spglobal.com/esg/insights/corporate-physical-assets-increasingly-in-harm-s-way-as-climate-change-intensifies