Este artigo propõe a implementação de certificados de “tom verde” que atestem a porcentagem de energia renovável contida na energia consumida por cada agente em determinado período. Para o autor, a certificação ganharia maior relevância se os países desenvolvidos se interessassem pelo “tom verde” da energia elétrica utilizada na produção industrial, algo que já acontece, por exemplo, na Alemanha. Trata-se de uma ótima oportunidade para o Brasil, que pode produzir esse hidrogênio verde a um baixo custo dada a grande variedade de fontes renováveis existentes no país.

Brasil Energia – Jerson Kelman (presidente do CA da ENEVA)

Link de acesso: https://editorabrasilenergia.com.br/cinquenta-tons-de-verde/