Em mais um ameaçador alerta de mudança climática, a World Meteorological Organization alerta que os níveis atmosféricos dos três principais gases de efeito estufa (dióxido de carbono, metano e óxido nitroso) atingiram novos recordes em 2021. Com efeito, o Greenhouse Gas Bulletin relatou o maior salto visto ano a ano nas concentrações de metano em 2021 desde que as medições começaram há quase 40 anos. Desde 2007, a concentração média global de metano na atmosfera, segundo maior contribuinte para as mudanças climáticas, vem aumentando em ritmo acelerado.  Seguindo padrão semelhante ao visto no caso do metano, o aumento nos níveis de dióxido de carbono de 2020 a 2021 foi maior do que a taxa média de crescimento anual da última década, principalmente por causa das emissões originadas da combustão de combustíveis fósseis e da produção de cimento. As medições mostram ainda que esses níveis continuam a aumentar em 2022 em todo o mundo. 

O óxido nitroso, por fim, é o terceiro gás de efeito estufa mais importante. Ele é emitido para a atmosfera tanto por meio de fontes naturais (aproximadamente 57%) quanto de fontes antropogênicas (aproximadamente 43%), incluindo oceanos, solos, queima de biomassa, uso de fertilizantes e vários processos industriais. Neste caso, o aumento de 2020 para 2021 foi ligeiramente superior ao observado de 2019 a 2020 e superior à taxa média de crescimento anual dos últimos 10 anos.  As concentrações de dióxido de carbono em 2021 foram de 415,7 partes por milhão (ppm), metano de 1908 partes por bilhão (ppb) e óxido nitroso de 334,5 ppb. Esses valores constituem, respectivamente, 149%, 262% e 124% dos níveis pré-industriais antes que as atividades humanas começassem a romper o equilíbrio natural desses gases na atmosfera.

World Meteorological Organization (WMO)

Link de acesso:

https://library.wmo.int/doc_num.php?explnum_id=11352

 

Artigos relacionados

Relatório Gap de Emissões 2022