O mundo está vivenciando uma onda de inovações nucleares. Dentre elas, estão ganhando espaço os pequenos reatores modulares avançados (SMRs – Small Modular Reactors), que podem adicionar capacidade incremental às redes elétricas sem demandar elevados investimentos e caros sistemas de transmissão. O artigo discute os avanços e os desafios das novas tecnologias nucleares, com enfoque nos SMRs. As motivações do desenvolvimento da tecnologia SMR vão desde atender a necessidade de geração de energia flexível para uma ampla gama de usuários e aplicações; conferir flexibilidade de localização; fornecer opções para aplicação remota e até off-grid. Existem atualmente mais de 50 novos projetos SMR em distintas fases de desenvolvimento em diversos países, sendo dois já em operação comercial: um na Rússia e outro na China. No entanto, alguns desafios significativos ainda se colocam, sendo o principal deles a dificuldade de licenciamento, sobretudo em termos de segurança, devido à grande quantidade de designs diferentes para os projetos. Destaca-se ainda que, para enfrentar os desafios associados à implementação dos reatores avançados, acordos de cooperação bilateral são essenciais, sejam eles entre empresas ou entre países com vasta experiência nuclear.

Ensaio Energético – Niágara Rodrigues (professora do Departamento de Ciências Econômicas da UFF e pesquisadora do Grupo de Energia e Regulação – GENER/UFF) e Francisco Raeder (professor da Faculdade de Economia da UFF e pesquisador do GENER/UFF)

Link de acesso:

https://ensaioenergetico.com.br/6820-2/