O conflito Rússia-Ucrânia colocou a energia nuclear de volta no centro das atenções em termos de segurança energética na Europa. Em contraste, a China sempre se manteve firme em sua ambição de energia nuclear. O artigo Transition needs will energize china’s nuclear power sector traz perspectivas em relação ao papel da energia nuclear na estratégia de descarbonização da China, destacando as vantagens do país nesse cenário. O crescimento do setor no país é acelerado, com metade dos reatores em construção aprovados nos últimos três anos. Projeta-se que a capacidade de energia nuclear da China se expandirá em cerca de 7% ao ano até 2035 e sua participação na energia total dobrará para cerca de 10% durante o período. Para garantir o capital necessário, as configurações regulatórias e outros apoios continuarão a garantir crédito para as operadoras de energia nuclear do país. Ademais, são previstos investimentos anuais de mais de 100 bilhões de renminbi chinês (RMB) até 2025. Ao final da discussão, a S&P Global também destaca a diferença entre a China e outros países asiáticos, que contam com a falta de apoio social, posições políticas, acessibilidade e eficiência de custos para a energia nuclear.

S&P Global

Link de acesso:

https://www.spglobal.com/ratings/en/research/articles/220425-transition-needs-will-energize-china-s-nuclear-power-sector-12350993