O artigo discute a retomada dos investimentos em energia nuclear no Brasil com a Usina de Angra 3. Inicialmente o autor apresenta a nova previsão de conclusão da central termonuclear e os valores previstos para a obra: R$ 18 bilhões até 2026, sendo um aporte de R$ 2,5 bilhões somente em 2021. Em relação aos novos investimentos pós Angra 3, o autor afirma ser bem possível que a expansão da fonte para o período posterior a Angra 3 já comece a ser vislumbrada a partir do PDE 2031. Também mostra que no PNE 2050, há a previsão de 8 GW a 10 GW de usinas nucleares no Brasil. O autor evidencia também a opinião de importantes representantes do setor energético sobre o tema: Thiago Barral, presidente da EPE, Celso Cunha, presidente da Associação Brasileira para Desenvolvimento das Atividades Nucleares (ABDAN), Diretor presidente da MC&C, José Marangon, João Carlos Mello, presidente da Thymos Energia, Leonam Guimarães, presidente da Eletronuclear. Os entrevistados falam sobre a localização das usinas, custos, porte das centrais, tecnologia, vantagens e desvantagens da geração. Ao final, o autor expõe o panorama global da energia nuclear.

Canal Energia – Maurício Godoi (colunista Canal Energia)

Link de acesso: 

https://canalenergia.com.br/especiais/53171135/angra-3-agora-vai