Anelise Lara discute o que a indústria de óleo e gás (O&G) pode esperar em 2022 num cenário com tantas incertezas e ressalta alguns pontos que devem estar na agenda. A autora destaca os altos preços de óleo e gás nos mercados internacional e nacional em 2022, comentando as movimentações pelo lado da demanda e da oferta. Ela mostra também que existe um potencial de incremento mais significativo na produção mundial de petróleo vindo dos Estados Unidos, aponta uma redução na demanda de despacho das térmicas no Brasil, a provável redução na importação de GNL e o aumento da produção doméstica de GLP. Ela indica ainda o início, de fato, da abertura do mercado de gás no país e o avanço do processo de desinvestimentos da Petrobras.

Valor EconômicoAnelise Lara (ex-diretora de Refino e Gás Natural da Petrobras)

Link de acesso:

https://valor.globo.com/opiniao/coluna/a-industria-de-oleo-e-gas-no-brasil-em-2022.ghtml