Os sistemas híbridos renováveis aumentam a produção de eletricidade, reduzindo a aleatoriedade das fontes sem emissões de gases de efeito estufa. A literatura indica que mais pesquisas ainda são necessárias para grandes sistemas conectados à rede. A capacidade de armazenamento de energia das usinas hidrelétricas oferece uma oportunidade para desenvolver a geração de novas energias renováveis. Este trabalho apresenta os resultados de um projeto preliminar híbrido entre uma usina hidrelétrica (UHE) existente no Brasil, Santa Branca, e uma usina fotovoltaica flutuante (FPV) simulada, ocupando apenas 2,8% da superfície do reservatório. O estudo analisou 20 anos de dados históricos da UHE e a metodologia propôs a injeção da potência máxima do FPV no sistema durante o dia e a UHE ajustando a produção. Como esse processo mudou o perfil de geração da UHE, limites operacionais como o nível do reservatório precisaram ser verificados. No período, enquanto a UHE gerou cerca de 4 TWh, o FPV poderia adicionar 2 TWh sem alterar significativamente a geração diária de UHE. Esse aumento de 50% na produção foi possível porque havia espaço disponível no reservatório para armazenar água durante o dia e utilizá-la durante a noite, funcionando como uma bateria virtual gratuita para o FPV. Também foi observado um aumento de 50% no fator de capacidade de conexão à rede.

Renewable Energy, Vol. 201, Part 1 – Felipe Piancó, Leo Moraes, Igor dos Prazeres, Antônio Guilherme Garcia Lima, João Gabriel Bessa, Leonardo Micheli, Eduardo Fernández, Florencia Almonacid

Link de acesso:

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0960148122015701

 

Artigos relacionados

https://panorama.memoriadaeletricidade.com.br/uniao-faz-a-forca-projetos-hibridos-de-energia-crescem-no-brasil/

https://panorama.memoriadaeletricidade.com.br/technical-potential-of-floating-photovoltaic-systems-on-artificial-water-bodies-in-brazil/

https://panorama.memoriadaeletricidade.com.br/hibridas-expansao-com-menor-custo-e-energia-mais-barata/