O Path to net-zero: Companies looking for carbon offsets find market in turmoil explicita as movimentações das empresas de energia dos EUA rumo a descarbonização e o papel dos créditos de carbono nesse sentido. Além de discutir o cenário atual, o artigo apresenta, ao final, uma tabela detalhada que mostra as metas climáticas das 30 principais empresas de energia do país. As compensações climáticas e os créditos de carbono estão em alta. A grande maioria das empresas de capital aberto nos setores de energia, bancos, seguros, mineração e tecnologia já adotam metas climáticas explicitamente. No entanto, apenas 6% das maiores corporações do mundo planejam descarbonizar suas atividades sem usar compensações de carbono para atingir suas metas. Dadas as regras de funcionamento desses mercados voluntários de carbono hoje, isso significa que os esforços individuais de descarbonização dessas empresas terão um efeito líquido global bem menor que o anunciado. Segundo John Lang, líder do projeto Net Zero Tracker, a compensação das emissões deveria ser usada apenas para emissões residuais e haverá riscos de negócios e de reputação se boa parte das emissões for compensada de modo a não alterar muito as emissões diretas. O mercado voluntário de carbono acabou crescendo na ausência de políticas climáticas governamentais e de um mercado nacional de carbono. Ainda segundo o relatório, atualmente apenas 3% das compensações representam remoções reais de emissões da atmosfera. 

S&P Global

Link de acesso:

https://www.spglobal.com/marketintelligence/en/news-insights/latest-news-headlines/path-to-net-zero-companies-looking-for-carbon-offsets-find-market-in-turmoil-72752718

 

Artigos relacionados:

https://panorama.memoriadaeletricidade.com.br/artigo-6-e-mercados-voluntarios-de-carbono/

https://panorama.memoriadaeletricidade.com.br/governos-adotam-cada-vez-mais-esquemas-de-incentivo-para-estimular-a-descarbonizacao-da-industria-de-petroleo-e-gas/

https://panorama.memoriadaeletricidade.com.br/o-mundo-esta-em-chamas-e-a-industria-do-petroleo-acaba-de-registrar-lucros-recordes-somos-nos-ou-eles/